Giro Policial
Tendência

Crime: Morte de Noélia passa a ser investigado como Feminicídio

A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), passou a tratar o caso da morte da vendedora, Noélia Rodrigues de Oliveira, de 38 anos, como feminicídio. O corpo de Noélia, foi encontrado com um tiro no rosto por volta do meio-dia da última sexta-feira (18), no Assentamento 26 de Setembro, que fica na região de Vicente Pires.

Inicialmente o crime foi registrado como homicídio, mas depois de uma serie de investigações a tipificação do assassinato foi mudada. Caso seja confirmado, o número de mulheres mortas no DF, por feminicídio, chegará ao 27º caso em 2019.

Conforme diz a delegada-chefe da 38ª Delegacia de Polícia, Adriana Romana, “Nós vamos adotar o protocolo de feminicídio. Caso seja outro crime mudaremos a tipificação”.

Entenda o que aconteceu

Policiais estiveram na loja, conversaram com funcionários e analisaram imagens de câmeras de segurança. De acordo com a delegada, além de um tiro no rosto, a vendedora também tinha ferimentos na cabeça. O corpo dela foi encontrado com roupas, sem sinal aparente de violência sexual.

Segundo testemunhas, no dia do desaparecimento, a vendedora foi a última a sair do shopping onde trabalhava. Ainda segundo uma amiga de trabalho, Noélia teria dito que pegaria uma carona, para chegar mais cedo em casa. O marido de Noélia registrou o desaparecimento na manhã de sexta-feira (18). Ele procurou a 5ª DP, na Asa Norte, às 9h45.

De acordo com a Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF), eles receberam uma ligação informando que um corpo de mulher havia sido encontrado no Assentamento 26 de Setembro.

A família da vendedora chegou a divulgar um pedido de ajuda em redes sociais para tentar encontrar a vítima.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios